“Itabira tem condições de investir em projetos esportivos”

Afirmação é do presidente do Conselho Municipal de Esportes

Rinaldo Lucas Araújo (foto) presidente do COMESPI (Conselho Municipal de Esportes de Itabira) tem mobilizado pessoas de destaque no segmento para participar efetivamente do movimento, que mostra desapontamento com a administração pública ao hibernar a secretaria municipal de esportes, lazer e juventude, pelo período de doze meses. Ainda há a ameaça de extinguir a pasta. Ele atendeu a imprensa nessa quinta-feira (1º) e avaliou a decisão do prefeito Ronaldo Magalhães.

O secretário de educação que agora também é o responsável pelo segmento esportivo, José Gonçalves Moreira teria conversado pessoalmente com Rinaldo para explicar que a queda de arrecadação do município forçou desativar momentaneamente a secretaria. “Zé Gonçalves me disse que o esporte e lazer têm orçamento de dois milhões de reais por ano, e gasta 60% desse valor com folha de pagamento. Mas é perfeitamente possível usar os demais R$ 800 mil para projetos esportivos,” indagou o presidente do COMESPI.

“O conselho tenta promover discussão sobre o esporte. Convocamos reuniões com a comunidade esportiva de Itabira pra saber se concordam ou não com a hibernação. Na última reunião a esmagadora maioria foi contra. Elaboramos uma agenda e vamos tentar sensibilizar os governantes,” disse Rinaldo Araújo.

Como prejuízo principal da inatividade é impossibilidade dos atletas de Itabira participar do JEMG (Jogos Escolares de Minas Gerais), JIMI (Jogos do Interior de Minas) entre outras competições, já que a inscrição é feita via secretaria.

Os membros acreditam que há recursos. “Estamos fazendo um estudo interrompido com a possibilidade de reativação da secretaria. Há recursos para dar continuidade as principais atividades da pasta,” concluiu o presidente do COMESPI.

Com essa mudança apenas um profissional não concursado foi exonerado, Luiz Carlos Almeida,o Lulu, os demais foram nomeados em outras pastas ou perderam o cargo, porque são funcionários públicos de carreira.

O Conselho ainda tenta regulamentar o Fundo Municipal de Esportes que deveria entre os anos de 2016 e 2017 receber cem mil reais da Prefeitura de Itabira. A bolsa-atleta pagou apenas dois meses dos doze previstos aos beneficiários. A lei municipal de incentivo ao esporte com dedução fiscal de pessoais jurídicas e de imposto de renda de pessoas físicas são situações que estão inativas com a hibernação da pasta.

Uma audiência será agendada com o prefeito Ronaldo Magalhães para ser ouvido sobre o tema, além de uma carta aberta do desportista itabirano ser publicada, com os anseios da sociedade esportiva de Itabira, são as próximas ações programadas pelos membros do Conselho de Esportes de Itabira.

Euclides Eder

error: PROIBIDA REPRODUÇÃO, USE AS FERRAMENTAS DE COMPARTILHAMENTO .