Itabira entra no plano nacional de expansão da radioterapia

No final desta tarde de sexta-feira (31), o prefeito Ronaldo Magalhães apresentou o termo de compromisso para a criação do serviço de radioterapia, já firmado com o Ministério da Saúde. A assinatura simbólica aconteceu no auditório do Hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD).

O documento, que estabelece metas para a concretização do Plano de Expansão da Radioterapia (PER) no Sistema Único de Saúde (SUS), beneficiará o HNSD com infraestrutura e equipamentos para a construção do Centro de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia, em um prazo de até dois anos. Com isso, Itabira oferecerá tratamento a pelo menos 50 pacientes mensais.

O próximo passo, segundo Alexandre Coelho, diretor executivo do HNSD, é a visita in loco de técnicos do Ministério da Saúde, da empresa responsável pela construção dos equipamentos – acelerador linear – e dos engenheiros da empreiteira que fará a nova unidade. “Toda a estrutura é disponibilizada pelo Governo Federal e depois desta visita, acredito que em três meses teremos o parecer favorável. Então, um novo documento será assinado para a liberação do recurso”. As obras da nova unidade oncológica, de acordo com o diretor, poderão começar em meados do próximo ano. “Depois, o centro será concluído possivelmente em 18 meses”, declarou Alexandre Coelho. Todo o empreendimento custará cerca de R$ 10 milhões.

Para o prefeito, a conquista representa “mais uma vez” os esforços do Hospital e da Prefeitura. “O Brasil inteiro estava pleiteando este serviço. Foram selecionadas 16 cidades, sobraram 10 e fomos contemplados. Preciso destacar o trabalho da atual gestão do hospital, porque toda a contabilidade e prestação de contas estão em dia”. Fato que, segundo Ronaldo Magalhães, é fundamental para o andamento do projeto junto ao Governo Federal. “Além disso, nós já temos a quimioterapia e precisávamos completar o serviço de oncologia. É um resultado bastante positivo para a região e diminui a dependência de sempre precisar da capital (Belo Horizonte). Os 29 municípios que recebemos serão melhores atendidos”, avaliou o prefeito.

Condições

O termo de compromisso com o Ministério da Saúde estabelece, entre outras condições, que o HNSD tenha uma área de no mínimo 1.100 mº para a implantação do serviço – o terreno do futuro centro itabirano conta com 1.170 mº – ; garanta mão de obra especializada para o atendimento radioterápico e ofereça tratamento a, no mínimo, 50 pacientes por mês ou 600 anuais.

“Nossa modalidade no PER é novas soluções no tratamento de radioterapia. O Ministério da Saúde vai construir e equipar o nosso centro. Tudo de inovação nesta área, teremos aqui. É uma espécie de projeto-piloto, já que será uma obra com padrão de qualidade, prazos de execução e todas as normas solicitadas em um único projeto”, afirmou Vaquimar Vaz, provedor do HNSD. O provedor adiantou ainda que o hospital já conta com médicos radioterapeutas e físicos, além dos técnicos em radiologia, “que já estão cursando especialização em radioterapia”.

RKIO/ASCOM PMI

error: PROIBIDA REPRODUÇÃO, USE AS FERRAMENTAS DE COMPARTILHAMENTO .