PCMG conclui inquérito sobre homicídio e tentativa de feminicídio

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) concluiu as investigações acerca dos crimes de homicídio consumado e tentativa de feminicídio, ocorridos no dia 7 de setembro deste ano, em São Joaquim de Bicas, região metropolitana. O suspeito, de 27 anos, encontra-se no Sistema Prisional e foi indiciado pelos crimes. Outro indivíduo, de 30 anos, também foi indiciado como partícipe no homicídio.

A delegada Gabriela Pádua conta que o suspeito teria invadido a casa da ex-namorada e atirado contra a mulher e o atual namorado dela, ambos de 22 anos. “As vítimas estavam deitadas na cama, no momento do crime, com um bebê de dois meses de idade, da jovem. Segundo ela, o bebê é filho do suspeito”, relatou a delegada.

De acordo com as investigações, a motivação dos crimes seria uma discussão entre o suspeito e a vítima fatal, ocorrida no dia 5 de setembro. “A vítima (a jovem) compareceu ao armazém em que o suspeito estava, e o suspeito mexeu com ela, puxando o cabelo dela. Insatisfeita, ela retornou à residência dela e contou para o atual namorado. Ele foi ao armazém para tirar satisfação, perguntando porque ele teria feito isso”, detalhou a delegada ao acrescentar que, com isso, os dois acabaram se agredindo e se ameaçando.

Dois dias após esse desentendimento, o suspeito teria cometido os crimes e fugido em seguida. Entretanto, o homem foi localizado e preso, escondido na casa de parentes, na zona rural de Diamantina. “Logo depois do crime, ele foragiu e a Polícia Civil representou pela prisão preventiva, tendo conseguido encontrá-lo, depois de intensa investigação, no dia 10 de outubro, momento em que ele foi preso”, ressaltou Pádua.

O suspeito foi indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil e mediante recurso que dificultou a defesa do ofendido, já que a vítima fatal estava dormindo no momento em que foi atingida por disparos de arma de fogo, e por feminicídio tentado, sendo majorado pelo fato de o crime ter sido cometido na presença dos dois filhos da vítima, o bebê de dois meses e uma criança de dois anos. Além disso, “a lei prevê que se a vítima teve um parto em até três meses antes do crime, ele também deve ser majorado”, explicou a delegada.

Também foi apurada a participação de outro indivíduo, de 30 anos, que teria incentivado o suspeito a cometer o homicídio. Conforme Gabriela Pádua, “Restou apurado que a participação dele no homicídio foi em relação ao jovem. Ele incentivou o suspeito; instigou a cometer o crime. Ele foi indiciado por homicídio qualificado consumado na condição de partícipe”.

COMUNICAÇÃO PCMG

Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com